Categorias
Sem categoria

11 coisas que gostaria de saber antes de abrir meu negócio

Achava que as coisas aconteceriam mais rápido do que realmente aconteceram. Isso poderia ter afundado minha empresa nos primeiros anos de vida.

“O que o homem precisa não é coragem, mas o controle dos nervos e a cabeça fresca. Isso ele só consegue com a prática.” – Theodore Roosevelt

Já se passaram mais de 10 anos desde o momento que saí da empresa em que trabalhava e criei o meu próprio negócio.

Aprendi um bocado durante esse período. As vezes desconfio que enfrentar desafios como os que vou relatar abaixo faz parte da vida do empreendedor.

De qualquer forma, espero que esse texto possa te ajudar a economizar tempo e dinheiro e minimizar os impactos dos primeiros anos de vida na construção do seu negócio.

  1. Tenha uma reserva financeira de pelo menos 1 ano. Isso vale tanto para as suas despesas de casa como as do negócio próprio. Não subestime essa informação, achando que “tudo se resolve”.
  2. Mantenha suas despesas no nível mais baixo possível. O lançamento de um novo negócio se compara ao lançamento de um foguete, onde a maior parte do combustível é utilizada nos primeiros momentos do lançamento. Você precisará injetar recursos no início, sejam eles financeiros ou do seu tempo e dedicação. Saiba priorizar os seus gastos. Quanto menos gastar, maiores serão as suas chances de sobrevivência.
  3. Prepare-se para competir contra você mesmo. Quando compartilhei com o meu pai a minha ideia de ser planejador financeiro pessoal, mostrando todos os números do meu plano de negócio, seu comentário foi preciso: “Seu maior desafio será você mesmo”. Você vai se conhecer como nunca. Seus erros, suas falhas, a forma que gerencia seu tempo e suas relações.
  4. Teste e faça experiências. Você pode ser facilmente derrubado por suas próprias ideias. Como dizem por aí, o papel aceita tudo. Portanto, antes de se aventurar com seu produto ou serviço e gastar uma fortuna para colocar o seu negócio de pé, vá para as ruas e tente identificar se as pessoas querem aquilo que você está oferecendo. Verifique o quanto elas estão dispostas a pagar por isso.
  5. Cuidado com a “pane seca”. Cuidado ao projetar o tempo que levará para atingir o equilíbrio, aquele ponto onde sua receita paga por todas as despesas. Quando comecei a minha empresa, esperava que dentro de 1 ano, já seria auto suficiente financeiramente. A realidade foi diferente disso. Com 12 meses de empresa, estava indo bem, mas não o suficiente para cobrir todas as minhas despesas. “O sujeito quebra com um cheque de R$ 100,00”, dizia um ex-chefe. Foi quase o que aconteceu comigo. Conclusão: tive que passar um bom tempo comendo macarrão.
  6. Prepare-se para ser um funcionário multitarefas. A menos que tenha um bom recurso para contratar pessoas, o que não vejo como uma realidade para a maior parte dos empreendedores, você fará o papel do financeiro, RH, marketing, vendas, e todos os demais papeis necessários. Com o tempo que sobrar, irá trabalhar no desenvolvimento do seu serviço ou produto, se sobrar tempo. Alguns podem achar que será o contrário.
  7. Feito é melhor que perfeito. Imagem é tudo! Pelo menos na visão da marca de refrigerante que lançou esse slogan. Pode até ser, mas no início, foque no que é importante. Ter marca, logo, site bonito, tudo isso é bacana e faz uma baita diferença. Mas de que adianta ter tudo isso e não ter o cliente batendo na sua porta ou o seu serviço pronto para ser oferecido, por exemplo.
  8. Construa seu Pipeline de vendas de acordo com sua disponibilidade de entrega. Você precisa contar com um sistema de vendas contínuas e ter a certeza que terá capacidade para entregar. É comum o empreendedor começar com a corda toda e fazer uma sequência de vendas iniciais e acabar sufocado com a entrega, principalmente no caso de autônomos. Muitas vezes ele passará anos nesse platô, sem conseguir crescer.
  9. Tenha ferramentas, mas limite-se às necessárias. Existem inúmeros Apps com soluções para o empreendedor. Gosto do Evernote, Calendly, Mailchimp e Zoom.us para mencionar alguns. Mas não se esqueça do item 2 dessa lista (mantenha seus gastos baixos). Contrate apenas o que for relevante para o desenvolvimento inicial do seu negócio.
  10. Cuide do seu maior recurso. O tempo. Evite ao máximo desperdiçar o seu tempo com reuniões que não te levarão a lugar algum, pessoas que você já sabe que não tem o perfil do seu cliente, achar que pode ser o expert em todas as redes sociais (a menos que realmente seja um) e/ou qualquer outra armadilha do tempo.
  11. Estude. O conhecimento é a ferramenta que fará seu produto ou serviço valer mais com o tempo. Procure sempre estudar para que possa oferecer o melhor para o seu cliente. A recomendação boca a boca pode ser um fator determinante no início da sua jornada.

Caso não tenha lido o material sobre “Como ter fontes inesgotáveis de clientes”, sugiro que o faça. Basta clicar aqui.