fbpx
Imagem de Dicas de Blog-5

Como viajar bem, gastando pouco ou quase nada

Importante: No momento em que escrevo esse texto, apesar de já ter sido anunciada uma vacina para o Covid-19, ainda passamos por muitas incertezas e restrições impostas por diversos países e setores. No entanto, poder viajar bem e gastando pouco, exige planejamento e tempo. Comece devagar, pesquisando e estudando, para quando o momento de viajar chegar, você já estará com as malas prontas.

Não faz muito tempo, tinha uma grande dificuldade em compreender como algumas pessoas conseguiam viajar com tanta frequência, visitando lugares maravilhosos e ficando nos melhores hotéis.

Pensava que era uma questão de acumular milhas com compras no cartão de crédito. Para tanto, bastava ter um cartão com bom multiplicador de milhas e ter seus gastos concentrados neste cartão. Pronto, estava tudo resolvido. Ledo engano.

Isso até pode ser uma parte da estratégia, mas é grande a chance de acabar gastando mais, com pouca eficiência na geração de milhas.

Mais um ponto importante. 

Já fiz “mochilão” pela América do Sul, fiquei em albergues pelo mundo e acampei em alguns lugares. 

Não me arrependo de nada, tudo ótimo, mas tudo tem sua fase e seu momento. Além disso, cada um tem o nível de conforto que gostaria de viajar. Trata-se de algo muito pessoal. 

Hoje, aos 48 anos de idade, prezo por certo conforto nas minhas viagens, principalmente quando acompanhado da minha esposa e filhas. 

Isso significa ficar nos lounges nos aeroportos enquanto esperamos a chamada para nossos voos, podermos eventualmente utilizar a primeira classe (ah! que delícia!!) e ficar em bons hotéis. 

Agora pasmem, faço isso gastando o mesmo, ou até menos, do que pessoas que viajam na média. 

Vou te dar um exemplo.

No final de 2018, antes do Corona, viajei com a minha família para a Argentina por 23 dias, gastando menos do que grande parte dos pacotes para Reveillon no Brasil por apenas uma semana!

Mas como isso é possível?

Antes de te dar o passo a passo, preciso dar o crédito à pessoa certa. 

Comprei um curso chamado Turbine suas milhas, do Márcio de Andrade.

O negócio é complexo, mas garanto que o esforço compensa.

O que fazer:

1. Tenha um cartão de crédito associado a alguma companhia aérea: ao fazer essa escolha, seus pontos do cartão irão direto para a companhia aérea escolhida. Se por um lado pode ser ruim, pois ficará limitado a essa empresa, por outro poderá te dar alguns benefícios tais como: maior pontuação por gasto, benefícios em compras de milhas e nas bonificações, upgrade de cabines, isenção do custo de despacho de bagagem, prioridade no embarque e desembarque e outros.

2. Tenha um segundo cartão de crédito que não esteja vinculado a nenhuma companhia aérea. Você poderá utilizar esses pontos para voar com a empresa aérea de sua preferência, aproveitar as promoções de transferência de pontos (ver abaixo), ter acesso às salas VIPs dos aeroportos e, combinado com o “item 1”, multiplicar suas milhas.

3. Cadastre-se nos clubes das empresas aéreas e seus parceiros, mesmo que pelo valor mínimo. Os clubes estão nos sites das companhias aéreas e no seu principal parceiro a Livelo. Não precisa sair se cadastrando em tudo o que é clube. Faça isso aos poucos, a medida que as promoções para adesão forem aparecendo.

A cada anúncio de promoção, você poderá avaliar se compensa participar de algum desses clubes. Começaria pela Livelo.

4. Fique atento às promoções das empresas aéreas, de cartões de crédito e seus parceiros: sites como Melhores Destinos e Passageiro de Primeira, divulgam frequentemente as promoções que estão acontecendo.

Importante: 1) antes de seguir com a sua estratégia de cartões e afiliações aos clubes, esteja ciente dos seus gastos. Nada vai compensar se tiver que pagar juros do cartão de crédito ou do cheque especial. Organize sua vida financeira primeiro e, só então, comece a construir sua estratégia de viagens; 2) Escolha um cartão que os seus gastos irão isentar a cobrança da anuidade. Pagar R$ 1.500 de anuidade por um cartão pode ser um tiro no pé. Você poderá consultar o ranking dos cartões no site Melhores Destinos.

Com todos esses passos, você estará acumulando milhas.

Mas isso não é tudo. Muitas vezes vale mais a pena você vender suas milhas acumuladas e comprar a passagem no cartão. Para isso, normalmente utilizo o Max Milhas

Explico: uma das movimentações que dá mais pontos nos cartões parceiros das empresas aéreas é justamente a compra de passagens. 

Fazendo da maneira correta, você poderá vender suas milhas com lucro e comprar a passagem com seu cartão acumulando mais milhas ainda.

Sobre os hotéis, o grande lance é aproveitar as promoções. 

Elas acontecem com muita força durante a black friday, mas podem ocorrer durante o ano todo.

É muita informação para passar em um único texto. 

Comece pesquisando, assistindo aos videos e vá se inteirando aos poucos sobre o tema.

Lembre-se de usar o tempo a seu favor.

No mais, faça uma ótima viagem!

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp