fbpx
reajuste plano de saúde

Plano de saúde terá reajuste negativo pela primeira vez

Você deve ter visto essa manchete diversas vezes nos últimos dias. De fato, é uma situação inédita e que pode causar dúvidas nos consumidores. É por isso que resolvemos escrever e tentar esclarecer um pouco o funcionamento e aplicação desse “reajuste negativo”.

Vamos começar pela expressão utilizada: “reajuste negativo” nada mais é do que um “desconto”. Isso mesmo, haverá uma redução efetiva na mensalidade dos planos individuais ou familiares.

Por ser um desconto é que a notícia causa tanto espanto e também a razão de ser inédita… Afinal de contas, seja com plano de saúde ou qualquer outro item do nosso orçamento, estamos acostumados a ver os preços subirem, seja com maior ou menor intensidade.

Outra questão que pode gerar um pouco de dúvida é: pra quem é válido? Bem, esse anúncio é válido para planos Individuais ou Familiares. E não se engane, isso não significa um plano onde está somente você ou você e a sua família.

Trata-se de um tipo de contratação definido pela ANS (Agência de Saúde Suplementar). Qualquer contratação que não exija um CNPJ, seja do seu empregador, sua pequena empresa ou MEI, a entidade de classe ou a associação que te representa.

Atualmente, menos de 20% do total de beneficiários de plano de saúde está em planos individuais ou familiares (aproximadamente 8,9 milhões de beneficiários), isso porque as operadoras, de forma geral, tiraram esse produto das prateleiras (são difíceis de achar), dada a limitação de reajuste definida pela ANS.

É bem verdade que estamos vendo um movimento recente com algumas operadoras retomando esse tipo de contratação.

Teto de reajuste

Sobre essa limitação (teto de reajuste), vale destacar que a ANS regula o setor inteiro de planos de saúde no que diz respeito a coberturas obrigatórias, prazos de atendimento etc., mas determina o teto de reajuste apenas dos planos individuais e familiares.

Imagine, por exemplo, que o teto de reajuste fosse de 20%. As operadoras poderiam aplicar qualquer índice, desde que não passasse do teto… não é diferente no caso do desconto de -8,19% que foi estabelecido como teto. Se alguma operadora quisesse, poderia aplicar -15% de desconto, por exemplo. Pouco provável, mas possível.

Até aqui está claro?

O que motivou o desconto?

Bom, mas por qual motivo estamos vivendo um desconto se a inflação está alta?

Isso acontece porque a metodologia de reajuste dos planos de saúde não acompanha a inflação. Basicamente, avaliam o histórico de despesas das operadoras (ou seja, as despesas com consultas, cirurgias, internações etc.), que reduziram sensivelmente com a pandemia, já que os atendimentos considerados não urgentes foram cancelados ou postergados, porque estávamos mais isolados, os hospitais estavam lotados com foco nos atendimentos ao COVID etc.

Além desse componente de despesas, também existe um componente de IPCA, com peso de 20% na metodologia e expurgando o segmento Planos de Saúde, pra não pesar duas vezes.

Importante dizer que essa metodologia é recente (2019) e que os reajustes de planos de saúde não apenas não acompanham a inflação, como são mais altos que os índices oficiais, realidade que não é uma jabuticaba brasileira, mas mundial (pauta pra outra reflexão).

Como o reajuste será aplicado

O reajuste será aplicado a partir das cobranças Ago/21 retroativo a Mai/21. Na verdade, respeitará o aniversário do contrato (mês de contratação) e o cronograma abaixo:

– Desconto ref. Mai refletirá na cobrança de Ago/21;

– Desconto ref. Jun refletirá na cobrança de Set/21;

– Desconto ref. Jul refletirá na cobrança de Out/21;

Caso você não tenha um plano individual ou familiar, mas sim um plano coletivo (empresarial ou por adesão), ou seja, você faz parte do grupo com 80% dos beneficiários de planos de saúde, o seu reajuste é definido pela livre negociação entre a operadora e a sua empresa, administradora de benefícios ou associação. O reflexo da redução de atendimentos também deve afetar essas negociações em 2021.

Agora, se você tem um plano de saúde individual ou familiar, fique atento às suas próximas cobranças e aproveite desse momento histórico.

Proposta irrecusável

A propósito, que tal fazer essa economia na conta do seu plano de saúde virar investimento para o seu “eu do futuro”?

E aqui não estamos apenas fazendo uma proposta de um simples investimento, mas sim, uma proposta de você, finalmente, realizar um sonho, um projeto e garantir segurança para você e para a sua família.

Afinal, esse era um recurso já destinado para segurança em saúde, não é mesmo?

“Ah, mas o valor nem é tão grande, será que vale a pena?”, você pode estar se perguntando.

Nós garantimos que sim. E, certamente, podemos te auxiliar com isso. Deixe uma mensagem aqui ou entre em contato conosco pelas redes sociais. Será um prazer conhecer a sua história!

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp